Catarinenses buscam tranquilidade longe da praia

Links patrocinados

Embora as praias de Florianópolis tenham atraído 1,9 milhão de turistas na temporada de 2016, segundo a prefeitura, alguns moradores não entram no mar há anos. Uma servidora pública, por exemplo, aproveita o verão na tranquilidade do sítio assim como um empresário da cidade que também prefere sua propriedade rural do que ir a um desses balneários.

A opção dos dois ocorre após sucessivos verões com longas filas no trânsito, no supermercado e para usar serviços em saúde e alimentação, por exemplo. Praias lotadas, com música alta, não fazem parte da agenda desses moradores.

O empresário Kalebe Feldberg, de 32 anos, há pelo menos três não entra no mar. Embora more em Palhoça, na Grande Florianópolis, onde fica uma das praias mais famosas do estado, a Guarda do Embaú, prefere aproveitar o tempo livre, com a mulher Raquel, de 25 anos, no sítio do casal em Alfredo Wagner, na mesma região.

Cachoeira em Florianópolis
Cachoeira em Santa Catarina
Foto: Kalebe Feldberg / Arquivo Pessoal

Na propriedade, Feldberg construiu uma piscina de 22×4 metros que ficou pronta na metade de dezembro para receber amigos e curtir o verão com privacidade. Além disso, o local tem açudes para pesca e até mesa de sinuca.

“Meu pai tem uma casa em Itapema, mas toda a vizinhança é alugada por veranistas, então, tem muito barulho, sempre aquele clima de festa. No sítio, é o contrário, eu durmo tranquilo, acordo com o canto dos passarinhos, desligo da rotina”, conta.

“No sítio, temos também um aviário com faisões, pavões, nós também criamos cabritos, eventualmente, aparecem até tucanos e quatis, é lindo demais. Além disso, há uma cachoeira. Curtindo tudo isso, ao lado da minha mulher e dos meus amigos, não preciso de mais nada”, disse.

A servidora pública Iara Réus Magalhães, de 33 anos, há um ano comprou um sítio em Biguaçu, na Grande Florianópolis, onde busca descansar da rotina de trabalho com a família.

“Nem lembro quando fui à praia pela última vez, há dois anos, fui à Lagoa do Peri, mas agora não vou mais. Meu namorado e eu estamos tentando plantar ervas e hortaliças; gostamos do silêncio do sítio, da tranquilidade e da sensação de segurança que a vida rural nos dá. Lá temos mais privacidade, podemos levar as cachorras, é muito bom”, conta Iara.

Segundo a Secretaria Municipal de Turismo, as praias de Florianópolis devem estar ainda mais cheias este ano, pois a cidade estima um aumento de turistas de até 20% na temporada 2017. Para Iara, o verão será bem diferente.

Nascida no bairro Trindade, ela estranha as alterações da cidade nos últimos anos. “O bairro perdeu a característica das residências familiares, por exemplo, que passavam de pai para filho. Tudo mudou muito com novos moradores, alguns vindos para a UFSC ou para a Academia de Polícia (instalados na Trindade)”, comentou.

“No sítio acordamos cedo, além de cultivar a terra, gostamos de preparar comidinhas e aproveitar a presença da família com tranquilidade. Lá, sinal de televisão e celular são difíceis, então, aproveitamos a natureza e a companhia das pessoas, é muito bom”, finaliza.

Fonte

Links patrocinados